Gnuplot – Parte II – Plotando funções

Continuando a série de posts sobre o gnuplot, hoje vão as dicas básicas para plotar funções.

Primeiramente abra o o programa digitando gnuplot em uma janela do terminal.

Para plotar uma função unidimensional como por exemplo

função

basta digitar

gnuplot> cos(x/2)**2*sin(x)

e o resultado será o seguinte:

Image Hosted by ImageShack.us


Se quiser escrever um título para a função basta incluir title ‘título da função’

plot x**2 title 'eis uma parabola'

e se não quiser que apareça nenhum título troque title por notitle


Para plotar mais de uma função simultameamente basta separá-las por vírgulas:

gnuplot> plot x**2, sin(x), cos(x), log(x)


A escala do gráfico é controlada pelos comandos xrange e yrange para os eixos x e y, respectivamente (óbvio 🙂 ). A sintaxe básica é

gnuplot> set xrange [0:10]
gnuplot> set yrange [-3:7]

Depois de ajustar a escala você pode utilizar o comando plot novamente ou apenas digitar replot para plotar a ultima função com a nova escala.


O rótulo de cada eixo pode ser alterado com os comandos xlabel e ylabel:

gnuplot> set xlabel 'eixo x'
gnuplot> set ylabel 'eixo y'


Resumidamente é isso.
Em breve mostrarei como gerar gráficos a partir de dados de um arquivo.NO Origin, YES Gnuplot 🙂

Anúncios

Acentos no LaTeX

Uma dica rápida, principalmente para quem está começando a trabalhar com \LaTeX.

Há tempos não é mais necessário comandos como \’a ou \^e para escrever á ou ê. Basta inserir o seguinte comando após o \documentclass:

\usepackage[latin1]{inputenc}

e agora pode escrever incluindo os acentos normalmente.

edit:
Como sugerido pelo semente, o comando pode ser substituido por

\usepackage[utf8]{inputenc}

para que a codificação do arquivo seja mantida no formato utf-8 (padrão do Ubuntu)

LaTeX no WordPress.com

Nota rápida:

Foi anunciado que agora o wordpress.com possui suporte a escrita de equações em \LaTeX. Talvez poucos utilizem, mas para físicos bloggers é uma ótima funcionalidade 🙂

A sintaxe é extremamente simples:

$latex i\hbar\frac{\partial}{\partial t}\left|\Psi(t)\right>=H\left|\Psi(t)\right>$

produz

i\hbar\frac{\partial}{\partial t}\left|\Psi(t)\right>=H\left|\Psi(t)\right>

Em outras situações pode também ser utilizado o ConverTex desenvolvido pelo Otávio. E depois mostro como instalar o suporte a LaTeX no MoinMoin.

Trabalho em equipe com o Gobby

Atendendo ao pedido do José Vitor venho falar rapidamente sobre o gobby, um editor de texto colaborativo: com ele é possível que duas ou mais pessoas trabalhem simultaneamente em um mesmo arquivo — e o mais importante: de forma organizada.

O gobby foi utilizado, por exemplo, no Ubuntu Developer Summit e o pessoal do Time de Documentação também utiliza frequentemente para criar novas páginas para o wiki.

O programa funciona da seguinte forma: inicialmente é preciso que alguém atue como ‘servidor’ , para que as outras pessoas (clientes) tenham acesso aos documentos. Uma vez criado o servidor, todos os clientes se conectam a ele e cada pessoa escolhe uma cor de identificação, que será utilizada para realçar qualquer texto que ela escrever. O gobby (aparentemente) não possui limites quanto ao número de clientes ou documentos criados.

As instruções de como instalar e utilizar o gobby estão no wiki do time de documentação: /Gobby

Sem dúvida a dupla Gobby+Skype (ou gizmo, ekiga, etc) é uma ótima pedida para trabalhos em equipe.

Screenshot:

Gnuplot – Parte I – Instalação

Muitas pessoas têm me perguntado sobre o gnuplot ultimamente, então resolvi escrever alguns posts dedicados ao programa. Para quem não conhece, o gnuplot é uma ferramenta para criação de gráficos em 2-D e 3-D cujos comandos são passados através da linha de comando.

Bom, então primeiro vamos instalar o gnuplot. Existem versões para Linux e Windows (sinceramente espero que esteja usando linux :-)).

Linux
Para instalar o gnuplot você pode compilá-lo a partir do código-fonte disponível aqui.

A instalação do Gnuplot no Ubuntu (ou qualquer outra distribuição debian-like) é extremamente fácil. Primeiro habilitar o repositório Universe, caso não o tenha feito ainda. Esta página contém intruções de como fazer isso.

Depois de habilitado o repositório basta procurar por gnuplot no Synaptic ou digitar em uma janela do terminal:

sudo aptitude install gnuplot

Para executar o gnuplot basta digitar em uma janela do terminal

gnuplot

Windows
A versão para Windows do gnuplot está disponível aqui.

Depois de salvar, descompacte o arquivo. Depois basta encontrar a pasta Gnuplot > Bin e executar o arquivo wgnuplot.exe.

Outra hora listo os comandos mais utilizados.

Agora sim: NO Origin, YES Gnuplot 🙂

LaTeX e Word comutam?

Ó alma que ainda depende do Word, PowerPoint (e derivados livres) e sempre teve problemas com a qualidade das equações feitas no MSEquation, apresento-lhes uma ótima alternativa: um script em bash feito pelo meu amigo físico-nerd Otavio, que utiliza o LaTeX para criar uma equação e automaticamente a exporta como figura (png). Depois de criar a equação é só importar no aplicativo que estiver trabalhando e pronto!

O script chama-se ConverTeX e está disponível aqui.

Viu só, quem disse que LaTeX e Word não comutam? (piada de quântica mode on)

Split + cat: separando e reagrupando um arquivo

Sempre compacto meus dados para fazer um backup, porém algumas vezes o arquivo tar.gz é maior que a capacidade de um DVD. Utilizando o split é possivel separar um arquivo em partes menores para então gravá-los. Depois basta utilizar o cat para reagrupar os arquivos que foram separados.

A sintexe básica do comando split é

split -b 690m arquivo.tar.gz arquivo.tar.gz-

Explicando:

-b 690m indica que o arquivo original deve ser separado em partes de 690 Mb. Altere este valor de acordo com sua necessidade (690m é um bom tamanho para CD’s e 4096m para DVD’s)

arquivo.tar.gz- indica que os arquivos resultantes serão chamados arquivo.tar.gz-aa, arquivo.tar.gz-ab e assim por diante.

Para reagrupar os arquivos basta utilizar o seguinte comando:

cat arquivo.tar.gz-a* > arquivo.tar.gz